domingo, 21 de maio de 2017

Galinhas geneticamente modificadas não transmitem gripe das aves


Um dos mais importantes berçários do vírus da gripe que afecta os humanos são as galinhas domésticas. Uma equipa internacional de cientistas desenvolveu uma variedade geneticamente modificada destas aves que pode contrair a doença mas não consegue passá-la para outros indivíduos. O vírus é enganado devido a um engodo molecular. Os resultados foram publicados esta sexta-feira na revista Science.

“O engodo imita uma parte essencial do genoma do vírus que é idêntico em todas as estirpes que existem da gripe A”, disse em comunicado Laurence Tiley, o último coordenador da equipa e autor do artigo, que trabalha no Departamento de Medicina Veterinária da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. “Esperamos que o engodo funcione contra todos os tipos de estirpes da gripe das aves e que o vírus tenha dificuldade em evoluir para escapar aos seus efeitos.”

O que a equipa fez, com ajuda de colegas que trabalham em Sidney e em Edimburgo, foi enganar a enzima que nas células das aves reproduz o genoma do vírus em muitas cópias. Os cientistas produziram um pedaço de ADN que codifica uma molécula capaz de atrair esta enzima. O processo, de alguma forma, bloqueia a multiplicação do vírus.

Depois, injectaram este pedaço de ADN nos embriões de galinhas, de modo a incorporarem-no no genoma das células. Em cruzamentos entre estas galinhas a nova informação foi naturalmente transmitida para as gerações seguintes, criando uma nova variedade geneticamente modificada.

Finalmente, os cientistas testaram os efeitos da gripe na nova variedade. Apesar das aves contraírem a doença e até morrerem, não passaram o vírus para outros indivíduos. Os cientistas não compreendem totalmente o que acontece a nível molecular, mas a investigação não vai acabar aqui.

“As galinhas são hospedeiros da gripe e potencialmente podem fazer a ponte e permitir que novas estirpes do vírus passem para os humanos. Prevenir a transmissão do vírus nas galinhas deverá reduzir o risco do impacto económico da doença e reduzir o risco das pessoas estarem expostas a aves infectadas”, defendeu Tiley, acrescentando que este é só o primeiro passo para desenvolver aves completamente imunes à gripe. “Estas aves com que trabalhámos servem só para investigação, e não para o consumo.”

A técnica é muito mais robusta contra o vírus do que as vacinas, que têm que ser administradas todos os anos para imunizar da gripe. Para o vírus se adaptar a esta “molécula-engodo” teria que mutar uma série de genes de uma vez só, algo muito improvável, diz o cientista.

A aplicação da técnica poderá ser mais controversa. No artigo da BBC News sobre esta descoberta, Peter Bradnock, do British Poultry Council disse que é preciso muito tempo para aferir o impacto alimentar de uma nova tecnologia. No caso de alimentos geneticamente modificados, ainda é mais complicado.

“Temos que ter um grande debate para decidirmos se a sociedade quer ter animais geneticamente alterados, mesmo que seja para seu próprio benefício”, disse Bradnock à BBC News.

Andrew Wadge, cientista chefe da agência de alimentação do Reino Unido (Food Standards Agency), realça o interesse desta discussão em relação à proibição das culturas vegetais geneticamente modificadas, que tradicionalmente na Europa são banidas. “Até agora a tecnologia genética não beneficiou directamente os consumidores. Não será interessante produzirmos algo que traga esse benefício?”, disse o cientista à BBC News.

Nos países onde a doença é endémica, a maior parte das explorações é feita por pequenos produtores. O artigo noticioso da revista Science sobre esta descoberta, explica que os aviários dos pequenos produtores, ao contrário dos grandes produtores, não têm poder para comprar as galinhas e implementar a técnica. Timm Harder, um investigador que trabalha na Alemanha em gripe aviária e que é citado no artigo, defende que se deverá dar as estes pequenos proprietários as galinhas geneticamente modificadas, para que eles possam cruzar com a sua própria criação.
Enviar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mensagens populares

Recomendamos ...